Óleos essenciais para pele seca

6 Melhores Óleos Essenciais para Pele Seca

Para quem gosta de cuidar da pele com produtos naturais, uma ótima opção são os óleos essenciais, pois eles tem ativos excelentes.

Por isso, hoje vamos mostrar quais são os principais óleos essenciais para pele seca, suas propriedades e qual é a melhor forma de uso.

As informações a seguir são importantíssimas para você que tem esse tipo de pele ou se pretende produzir cosméticos naturais para a venda. Confira o que preparamos para você!

Veja também:
9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa
Como Fazer Óleo de Alecrim Caseiro para Pele e Cabelo

Tipos de óleos essenciais para pele seca

Ao contrário das essências, que apenas dão cheiro, os óleos essenciais são concentrados em compostos naturais – extraídos pela técnica de destilação a vapor ou prensagem a frio. Quando o assunto é a saúde da pele, suas especificidades e finalidades são enormes.

1. Camomila Romana

Além de ser ótimo para a hidratação de peles secas, o óleo essencial de camomila romana é ótimo para dermatites, inflamações, inchaços, alergias, acnes e queimaduras de fundo emocional. 

2. Copaíba Bálsamo

Esse óleo essencial auxilia no rejuvenescimento da pele e, é claro, na hidratação. Ele também pode ser um aliado no tratamento de psoríase e de lábios rachados.

3. Gerânio

São muitos os benefícios desse óleo. Além de ser ideal para pele seca e melhorar o tônus, a cor e o brilho natural da pele, ele é eficiente na redução de manchas de envelhecimento e cicatrizes.

É antioxidante, o que melhora a elasticidade da pele e previne o surgimento de rugas, sinais e linhas de expressão. Estimula, ainda, a circulação sanguínea, o que contribui para a saúde em geral.

4. Lavanda

O óleo essencial de lavanda atua na regeneração da pele, no combate à dermatites e eczemas e no tratamento da pele com acne, psoríase ou com queimadura.

Ele ainda ajuda a equilibrar a oleosidade tanto das peles ressecadas como das oleosas. Tem propriedade tônica, anti-inflamatória, adstringente, antioxidante e cicatrizante. 

5. Palmarosa

Com suas propriedades antioxidantes e antigenotóxicas, esse óleo pode ser utilizado para regenerar e clarear manchas da pele, sejam elas decorrentes do sol ou da idade.

Ele também acalma os sintomas da psoríase e hidrata as peles secas, já que estimula a secreção natural da oleosidade e ajuda a reter a umidade nos tecidos, mantendo o equilíbrio da hidratação e maciez da pele.

O óleo de palmarosa ainda pode aliviar inflamações, curar feridas e estrias, acalmar e refrescar a pele. 

6. Patchouli

O óleo essencial de patchouli possui propriedades anti-inflamatórias, o que contribui para acalmar inflamações da pele, psoríase, coceira e dermatite.

Contém propriedades hidratantes, e, por isso, é um ótimo aliado no tratamento de pele rachada. Além disso, é cicatrizante e atua no rejuvenescimento da pele.

Como usar os óleos essenciais?

Os óleos essenciais não podem ser aplicados diretamente na pele. Por isso eles precisam ser diluídos. Para a diluição, podem ser usados o mel, álcool de cereais, cremes neutros e óleos vegetais. Essa última opção é uma boa aposta.

Por isso separamos alguns óleos vegetais também indicados para peles secas em que você poderá diluir o seu óleo essencial. Veja só!

  • Óleo de Abacate: é antioxidante e reduz a perda da água pela pele, o que contribui para a hidratação.
  • Óleo de Amêndoas Doces: regenera e firma a pele. Protege a pele contra a desidratação e danos diários. É antioxidante e anti-inflamatório.
  • Óleo de Andiroba: tem ação anti-inflamatória, alivia a coceira e a irritação da pele ressecada, sendo muito indicado como hidratante.
  • Óleo de Buriti: estimula a produção de colágeno e elastina e promove uma hidratação profunda da pele.
  • Óleo de Coco: é cicatrizante, hidratante, antibactericida, antiviral e antifúngico. 
  • Óleo de Jojoba: reforça o manto hidrolipídico da pele, regula as glândulas sebáceas além de tratar eczemas e psoríase.
  • Óleo de Oliva: é regenerador, antioxidante e relipidizante. Além disso, devolve a maciez e a maleabilidade à pele. 
  • Óleo de Rosa Mosqueta: por ter ação regeneradora, pode ser utilizado para atenuar sinais, cicatrizes, peles ressecadas, com acne e desvitalizadas. Confere à pele umectação, elasticidade, proteção, firmeza e maciez. Ideal para peles com descamação e secas.

Receita de sérum facial para pele seca

Se você se interessou em utilizar o óleo essencial unido ao óleo vegetal, aqui vai uma receita bem fácil de se fazer, retirada do site Jardim do Mundo.

Materiais

  • 20 ml de óleo vegetal de buriti;
  • 1 gota de óleo essencial de lavanda; 
  • 1 gota de óleo essencial de palmarosa;
  • 1 frasco de vidro com conta gota.

Modo de preparo

  1. No frasco de vidro, despeje o óleo vegetal de buriti;
  2. Depois pingue as gotas do óleo essencial de palmarosa e de lavanda;
  3. Feche o vidro e o agite com delicadeza para misturar as substâncias.

Está pronto o seu sérum facial para pele seca! Aplique todos os dias após o banho. 

E então, você gostou de descobrir quais são os melhores óleos essenciais para pele seca? Se quiser saber mais sobre óleos essenciais, confira este artigo!

Você já usa alguma das essências que mostramos? Conta para gente nos comentários quais você mais gosta.

Veja também:
Os 9 Melhores Tipos de Óleo Vegetal para Qualquer Tipo de Pele
Óleos Essenciais Fotossensíveis: O Que São e Como Usar Corretamente

Óleos Essenciais Fotossensíveis: O Que São e Como Usar Corretamente

Para quem trabalha com cosméticos naturais ou aromaterapia, os óleos essenciais fazem parte da rotina. Porém, em muitos casos eles geram dúvidas, especialmente em relação aos óleos essenciais fotossensíveis.

Falaremos sobre eles hoje, esclarecendo como funcionam, além de listar alguns exemplos e recomendações de uso.

Assim você poderá usá-los nas suas receitas e na pele sem medo. Afinal, nada pior do que ter reações ou manchas na pele num momento de autocuidado, não é mesmo?

Veja também:
Cosméticos Naturais, Artesanais e Veganos: Qual é a Diferença? Conservantes Naturais para Cosméticos: Como Escolher a Melhor Opção?

Fotossensibilidade e sua presença em óleos essenciais

Fotossensibilidade é o que acontece quando a radiação da luz solar transforma uma substância (neste caso, o óleo essencial), resultando em alterações químicas.

Desse modo as reações na pele acontecem, sejam elas irritações, manchas e em alguns casos até mesmo queimaduras leves que podem levar até 30 dias para sair.

As reações variam de acordo com as condições da pele e do quão exposta ela ficou ao sol.

Porém, nem todos os óleos essenciais são fotossensíveis. São, especialmente, os óleos cítricos. Ainda assim, também não são todos os cítricos.

Apenas alguns possuem uma molécula chamada Cumarina, que possui esta característica fotossensibilizante.

Óleos Essenciais Fotossensíveis

Felizmente a minoria dos óleos essenciais reagem com o sol, mas nem por isso você precisa abrir mão dos benefícios destes óleos. O importante é apenas manuseá-los da maneira correta.

Mas antes de abordar o uso e o manuseio, conheça alguns deles:

  • Clementina
  • Cominho
  • Lima
  • Limão Siciliano
  • Mandarina (verde e vermelha)
  • Mexerica/Bergamota
  • Rosa Mosqueta
  • Tangerina
  • Verbena Índia

Como você pode ver, alguns cítricos estão de fora. Óleo essencial de grapefruit e e laranja doce, por exemplo, não possuem cumarina, portanto, não são fotossensibilizantes.

De toda a forma, óleos com alto teor de cumarina possuem maiores chances de fotossensibilizarem a pele. Por isso é sempre bom pesquisar melhor as características do óleo que você pretende usar.

Uso e manuseio dos óleos

Óleos essenciais por si só já são altamente concentrados. Por isso, evite usá-los diretamente na pele. Sempre dilua em outro óleo carreador, isto é, algum óleo vegetal ou manteiga usado em cosméticos naturais.

Assim as propriedades benéficas do óleo estarão lá e sem nenhum risco de agredir sua pele. O mesmo vale para os óleos essenciais fotossensíveis.

A principal recomendação de uso para os produtos que levam esses óleos é: não se expor a luz solar por 24hrs após a aplicação. Outra opção é utilizá-los durante a noite e lavar a região com sabão na manhã seguinte.

O mesmo vale para a conservação! Guarde esses óleos em locais com pouca luminosidade para evitar que oxidem e estraguem mais rápido.

Agora, se a queimadura ou irritação já aconteceu, também tem solução. Pode levar cerca de 35 dias para as células se renovarem. Mas o desconforto pode ser amenizado. Aplicando argila branca diluída em água de lavanda na região, parte da cumarina será absorvida, trazendo algum alívio.

Entendendo melhor o que são óleos essenciais fotossensíveis, assim como manuseá-los com segurança e conforto, será possível aproveitar dos benefícios desses óleos com maior tranquilidade seja para você e ou seus clientes.

Quer aprender mais sobre cosméticos naturais e como transformá-los em uma renda extra? Conheça nosso curso: Cosméticos Naturais Lucrativos.

Veja também:
Os 9 Melhores Tipos de Óleo Vegetal para Qualquer Tipo de Pele
9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa

Cosméticos Naturais, Artesanais e Veganos: Qual é a Diferença entre Eles?

Você provavelmente já deve ter escutado falar sobre os cosméticos naturais, artesanais e veganos, não é mesmo? Mas você sabe qual é a diferença entre os três?

Por serem o oposto dos produtos industrializados, muitas vezes são confundidos como se fossem a mesma coisa. Mas esses cosméticos apresentam muitas diferenças e peculiaridades. 

Por isso elaboramos este guia completo para que você entenda a diferença entre esses três tipos de cosméticos. Confira!

Veja também:
Como Fazer Sabonete Medicinal com Óleos Essenciais
6 Receitas Rápidas de Hidratante Caseiro para o Rosto

O que são cosméticos naturais, artesanais e veganos?

Para quem já trabalha ou pretende trabalhar com a saboaria, é fundamental conhecer esses conceitos e a diferença entre eles por dois motivos principais:

  • saber explicar aos clientes a funcionalidade e a finalidade de cada um;
  • saber qual traz mais benefícios, e assim, decidir em qual investir.

Por isso confira agora mesmo a definição de cada um deles!

1. Cosméticos naturais

Os cosméticos naturais, como o próprio nome sugere, não levam nenhuma substância artificial em sua composição. Neles você encontrará óleos essenciais, vegetais, manteigas, ceras e argilas. 

Eles são, sem dúvida, uma alternativa saudável e consciente, tanto em sua produção quanto no consumo.

Além disso, você possivelmente já tem 80% dos materiais em casa para produzi-lo, por isso gastará pouco na aquisição dos demais ingredientes.

Importante: Não confunda óleo essencial com a essência!

O óleo essencial é 100% puro, originados do processo de prensagem e/ou maceração de flores, cascas, folhas e frutos. Já a essência se trata de compostos químicos sintéticos que imitam o aroma das plantas e flores.

Saiba mais sobre a cosmetologia natural neste guia completo.

2. Cosméticos artesanais

Os cosméticos artesanais, por sua vez, embora sejam mais fáceis de serem feitos, não levam óleo essencial em sua composição, mas sim essências e corantes artificiais.

Quer saber mais sobre esse tipo de cosmético? Então leia este artigo da Revista Artesanato.

3. Cosméticos veganos

Por fim, os cosméticos veganos são aqueles que não levam nenhum tipo de ingrediente de origem animal.

Por isso alguns materiais como mel, leite e própolis, que são ótimos para a pele, não podem ser utilizados nesses produtos. 

Em sua composição podem ser encontradas argilas, minerais, ervas aromáticas e extratos vegetais.

E além disso, esses cosméticos não são testados em animais.

4. Cosméticos orgânicos

Ainda existe um outro tipo de cosmético: o orgânico. Ele é produzido com insumos da agricultura orgânica, que são cultivados sem uso de pesticidas ou organismos geneticamente modificados. 

Para ser considerado um cosmético orgânico, o produto deve ser constituído por 95% de matérias-primas orgânicas e 5% pode ser composto por água e por outras matérias-primas naturais.

Em qual cosmético investir?

Em um rápido balanço, todos os cosméticos são bons por fugirem da industrialização, que agride bastante a pele e o organismo. 

Porém, dentre essas opções, é possível escolher uma para produzir shampoos, desodorantes, sabonetes, cremes hidratantes, sais de banho, entre outros itens de beleza, que seria o cosmético natural. 

Ao contrário dos artesanais, ele é totalmente natural e não leva elementos artificiais. Isso é um ponto a favor sob a ótica dos benefícios para a pele. 

Ao contrário dos veganos, ele não tem limitações de materiais que são benéficos para a pele, como o mel, o própolis e o leite. Os cosméticos veganos só são uma boa ideia para quem vive essa filosofia e para quem pretende comercializar para um nicho muito específico.

Por isso em termos de comercialização, essas limitações de produtos de origem animal podem dificultar um pouco as vendas para um grande público.

E, por fim, ao contrário dos orgânicos, o cosmético natural não tem limitações de matérias-primas de acordo com o tipo de agricultura.

Muitas vezes você não tem um espaço de plantio em casa para desenvolver a sua agricultura orgânica e não conhece ninguém na vizinhança que a tenha. Isso irá comprometer a sua produção se você quiser comercializar em larga escala. 

Então, apesar de todos os tipos de cosméticos que não são industrializados serem bons para a pele, em termos de comercialização é melhor optar pelos cosméticos naturais

Por isso, se você se interessou pelos cosméticos naturais e quer investir nessa área para ter um bom retorno pessoal e financeiro, conheça o curso de Cosméticos Naturais clicando aqui. Será um prazer ter você conosco!

Veja também:
Cosmetologia Natural: Guia Definitivamente Completo para Iniciantes
Como Fazer Desodorante Vegano: 5 Receitas Naturais e Eficientes

Conservantes Naturais para Cosméticos: Como Escolher a Melhor Opção?

É normal que surja algumas dúvidas com relação durabilidade dos cosméticos artesanais. Afinal, um dos ingredientes sintéticos que deixa de ser utilizado, é o conservante.

Mas saiba que existem conservantes naturais que podem aumentar o tempo de validade dos seus produtos.

Hoje vamos conversar sobre a durabilidade dos cosméticos naturais, assim como o que pode ser feito para estendê-la.

Você vai entender melhor o que são os conservantes e os antioxidantes e como escolher o melhor para os seus produtos. Confira!

Veja também:
Cosmetologia Natural: Guia Definitivamente Completo para Iniciantes
Como Fazer Óleo de Alecrim Caseiro para Pele e Cabelo

Funções dos Conservantes e Antioxidantes

theecowell

Antioxidantes também podem contribuir para uma maior duração dos seus produtos. Mas para entendê-los melhor, é bom reforçar o que são os conservantes em primeiro lugar.

Qualquer cosmético natural que tenha, por exemplo, óleo vegetal, manteiga, argila, água, além de outros ingredientes, tem uma grande chance de sofrer uma proliferação de micro-organismos.

Os conservantes evitam o crescimento de micróbios e proliferação de bactérias.

Os antioxidantes, por outro lado, evitam a oxidação de óleos e gorduras. Um óleo oxidado fica com o cheiro ruim, rançoso. Ou seja, os antioxidantes vão manter o aspecto fresco dos seus produtos,especialmente nos que possuem muito óleo.

Alguns exemplos de antioxidantes naturais são:

  • Extrato de Semente de Toranja
  • Vitamina E
  • Óleo Resina de Alecrim

Conservantes Naturais

thethingswellmake

Felizmente existem opções de conservantes naturais para os seus cosméticos. Existem algumas opções que além de conservar, possuem outros efeitos, como dar coloração, aumentar a consistência ou cremosidade.

Em concentrações específicas não alteram ou prejudicam seus produtos, pelo contrário, estendem consideravelmente o prazo de validade. Confira alguns exemplos:

  • Ácido benzoico um composto presente em bálsamos e resinas vegetais, além de ser aromático.
  • Benzoato de sódio e de potássio presentes em cogumelos, frutas e alguns vegetais.
  • Sorbato de potássio é um derivado do ácido sórbico encontrado em frutas.

Os conservantes acima são exemplos de conservantes naturais e de grau alimentício. São permitidos pelo Ecocert e IBD, órgãos certificadores de produtos naturais e orgânicos.

thethingswellmake

Óleos essenciais também podem ser conservantes, desde que possuam ação antimicrobiana como um de seus efeitos. É uma opção muito interessante também, afinal o produto será 100% natural.

Porém a ação do óleo essencial só será efetiva de acordo com sua concentração no cosmético. De um modo geral, possuem validade de 2 anos, então a quantidade utilizada ditará o quanto o óleo aumentará a validade do produto.

Um estudo publicado na Revista Brasileira de Plantas Medicinais confirmou a eficácia da ação antimicrobiana dos seguintes óleos essenciais:

  • Hortelã-Pimenta
  • Capim Limão
  • Manjericão Basílico (manjericão-de-folha-larga)
  • Manjerona

No mínimo estas quatro opções possuem comprovação científica de sua ação na proliferação de bactérias, e são opções super naturais. Ainda assim, isso dependerá da quantidade presente no produto.

A diferença mais notável é que apesar de não serem naturais como os óleos, os ácidos e benzoatos também podem adicionar outras características aos cosméticos.

Porém, todas as opções de conservantes naturais citados não comprometem, de modo algum, a pureza dos seus produtos.

Práticas que Influenciam na Conservação

amp.mindbodygreen

O principal fator são os próprios ingredientes. Os de origem animal possuem uma validade curta. Afinal, os de origem vegetal. tem um teor maior de fibras, fator que torna a biodegradação mais lenta.

Contudo, os que costumam ter uma durabilidade maior são os de origem mineral, como argilas e óxidos de metais.

Outros fatores que influenciam na conservação de seus produtos é a higiene na hora da fabricação e, principalmente na hora de escolher as embalagens.

Antes de tudo é essencial esterilizar e ter a certeza de que a embalagem está completamente seca antes de condicionar algum produto.

Outra questão são os cosméticos com ingredientes fotossensíveis. Em recipientes transparentes eles estragarão mais rápido se tiverem em ambientes iluminados. Opte por embalagens foscas ou guardar em locais escuros.

nofussnatural

De um modo geral muitos fatores influenciam na durabilidade dos seus produtos. Felizmente, como você pode ver, existe um número considerável de conservantes naturais que podem aumentar a validade deles.

Deixe um comentário contando para gente quais você pretende usar!

Veja também:
Como Fazer Desodorante Vegano: 5 Receitas Fáceis e Eficientes
9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa

Como Fazer Óleo de Alecrim Caseiro para Pele e Cabelo

Óleos com extratos de plantas sempre são ótimos aliados para a saúde do corpo.

E uma erva muito famosa no mundo da culinária, o alecrim, também se destaca no mundo dos cosméticos naturais. Por isso, hoje ensinaremos como fazer óleo de alecrim neste post.

E claro, além de ensinar como prepará-lo, vamos explicar o modo correto de utilização, assim como os efeitos e benefícios deste produto.

Desse modo você se surpreenderá em como este óleo é tão simples de preparar quanto efetivo para o bem estar.

Veja também:
3 Receitas de Cosméticos Naturais Incríveis para Fazer em Casa
Como Fazer um Sabonete de Babosa Super Hidratante

Passo a Passos

ehow

Para fazer esta receita, será necessário algum óleo vegetal adequado para uso cosmético. Existem muitos que se adequam para este caso, então vamos usar um bem básico e que você provavelmente conseguirá em qualquer mercado. A validade deste óleo caseiro é de até 2 meses.

Ingredientes:

  • 5 ramos de alecrim fresco ou seco
  • ! xícara de azeite de oliva extra virgem
  • Pote com tampa para armazenar

Modo de Preparo:

  1. É muito importante que o pote escolhido vede bem e esteja completamente seco. Qualquer rastro de água pode comprometer a vida útil do produto.
  2. Coloque os 5 tamos neste pote e, em seguida, a xícara de azeite.
  3. Tampe bem e armazene em local seco e escuro por entre 10 a 15 dias.
  4. Durante este período de armazenamento, agite-o vez ou outra para facilitar a infusão das propriedades do alecrim no óleo.
ehow

A princípio esta é uma receita básica de óleo macerado de alecrim. Contudo, também tem como fazer óleo de alecrim com o auxílio do calor. Nesse caso, serão utilizadas as mesmas proporções dos ingredientes acima, apenas a preparação será diferente.

Modo de Preparo:

  1. Lave bem o alecrim e tenha a certeza de que ele está completamente seco.
  2. Coloque o azeite de oliva em uma panela e deixe esquentando em fogo médio por no máximo 3 minutos
  3. Acrescente o alecrim e deixe-o no azeite quente até que ele murche.
  4. Quando perceber que os ramos estão murchando, deixe-os no azeite por mais 1 minuto e então remova-os da panela e transfira-os para o pote.
  5. Despeje o óleo e feche bem o pote. Guarde-o em um local seco e escuro.

A vantagem deste segundo caso, é que o óleo ficará pronto em apenas uma semana. Mas ainda existe uma terceira maneira de prepará-lo, que é utilizando óleo essencial ao invés dos ramos.

Receita com óleo essencial

A diferença aqui é que a concentração dos óleos essenciais pode ser agressiva para a pele, então é preciso misturá-los a outro óleo. Portanto, se sua escolha for aproveitar as propriedades do alecrim através de um óleo essencial, a sugestão é que seja utilizado um óleo carreador como azeite de oliva ou óleo de coco.

Modo de Preparo:

Igualmente, use a proporção de 1 xícara de azeite de oliva como nas receitas anteriores e aplique entre 15 a 20 gotas de óleo essencial de alecrim. Guarde num pote bem vedado.

Benefícios do Óleo de Alecrim

womansalphabet

O óleo de alecrim possui inúmeros benefícios e propriedades que contribuem para a saúde da pele e dos cabelos. Seu uso é contraindicado para gestantes ou pessoas que sofrem de pressão alta.

O óleo de alecrim é:

  • Antioxidante
  • Anti-inflamatório
  • Cicatrizante
  • Analgésico
  • Anticaspa
  • Reduz acne, rugas e manchas
  • Estimula a produção de colágeno
  • Tônico capilar

Enfim, agora que você sabe os benefícios e como fazer óleo de alecrim explicaremos a seguir como utilizá-lo.

Utilização na pele: Espalhe uniformemente no rosto e massageie a pele com movimentos circulares. Deixe por alguns minutos. Em seguida, umedeça um pano com água morna e use-o para remover o excesso.

De todo modo, se acredita ter problemas mais graves na pele, o ideal sempre será consultar um dermatologista.

naturallivingideas

Utilização nos cabelos: Você pode utilizar o óleo aquecido ou em temperatura natural. Aquecê-lo um pouco melhorará a absorção das suas propriedades pelo cabelo. Mas em temperatura ambiente não deixará de produzir resultados positivos.

  1. Coloque 2 ou três colheres em um recipiente que possa ser usado no micro-ondas.
  2. Esquente por poucos segundo, num tempo em que fique entre morno e quente.
  3. Aplique e massageie o couro cabelo de 5 a 10 minutos.
  4. Deixe agir por, no mínimo, duas horas, ou da noite para o dia.
  5. Para remoer, use condicionador e deixe agi-lo por 20 minutos. Em seguida, enxague o cabelo.
brit.co

Viu como fazer óleo de alecrim é simples? E o melhor, é tão benéfico quanto simples e pode contribuir muito para a saúde da pele e dos cabelos.

De qual maneira você pretende prepará-lo? Conte para a gente nos comentários e deixe suas dúvidas por lá também.

Veja também:
Receita de Repelente Natural Super Fácil de Fazer
Aprenda Como Fazer Desodorante Natural com 3 Ingredientes

Os 9 Melhores Tipos de Óleo Vegetal para Qualquer Tipo de Pele

Existem diversos tipos de óleo vegetal, e seus usos no mundo dos cosméticos criam diversas possibilidades para todos os tipos de peles.

Os óleos vegetais são extraídos de plantas, sementes e frutos através de prensagem ou maceração. Menos concentrados que óleos essenciais, ainda assim são muito positivos para a pele e também para os cabelos.

Afinal de contas, são hidratantes naturais por si só, além de promoverem outros efeitos igualmente bons e naturais.

É importante saber distingui-los e, por isso, neste artigo vamos listar alguns para você conhecê-los melhor. Com propriedades e benefícios diversos, existem óleos adequados para todos os tipos de pele.

Sabendo disso, você poderá incluí-los na sua rotina de cuidado, puros ou misturados à hidratantes.

Veja também:
9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa
Como Fazer Óleo Macerado de Forma Simples

Tipos de óleo vegetal

Times of India

De acordo com o a fonte de extração, ou seja, de acordo com a planta, fruto ou semente que serviu de base para a produção do óleo vegetal, é possível identificar quais efeitos cada óleo proporcionará.

Após apresentar alguns tipos, assim como falar alguns para diferentes tipos de pele, vamos explicar os modos mais adequados de utilizá-los.

1. Óleo de Coco

O óleo de coco é um excelente hidratante para a pele. Um estudo científico comprovou a eficácia que o óleo virgem desta fruta tem. Além de ser um ótimo cicatrizante, também é antioxidante. Ou seja, é uma opção excelente para quem quer uma pele mais nutrida e macia.

2. Óleo de Abacate

Outra opção de óleo de fruta muito saudável, o óleo de abacate retarda a formação de rugas e estrias. É também um hidratante eficaz e sua textura pesada atua muito bem em peles ressecadas e maduras. É uma escolha muito boa em receitas de hidratantes.

3. Óleo de Oliva

Um óleo rico com altas concentrações de vitamina E e polifenóis. Possui um excelente efeito regenerador e antioxidante. Seu toque acetinado traz maciez e elasticidade à pele.

4. Óleo de Gérmen de Trigo

Também muito rico em vitamina E, o óleo de gérmen de trigo é antioxidante, emolientes, nutritivo e revitalizador. Desacelera o envelhecimento e devolve a vitalidade. É indicado para vários problemas de pele.

Jama Network

5. Óleo de Jojoba

Dos vários tipos de óleo vegetal, este se assemelha muito com uma cera. É bem harmônico com o sebo cutâneo, ou seja, é muito bem absorvido pela pele, também abrindo caminho para absorção de outros nutrientes. Desse modo, regula muito bem a produção de sebo, sendo uma escolha interessante para peles oleosas também.

6. Óleo de Rosa Mosqueta

Um óleo muito equilibrado é o extraído desta planta silvestre. É ótimo para tratar de rugas e manchas de sol. Tem também um efeito antioxidante, regenerador e anti-inflamatório, ou seja, atende quase todas as demandas da pele. Seu toque suave e não gorduroso é ótimo para peles oleosas.

7. Óleo de Girassol

Muito bom para suavizar peles que tendem a ficar muito vermelhas e irritadas.  É de absorção muito tranquila e praticamente não tem aroma. Uma boa opção tanto para o rosto quanto para o corpo.

8. Óleo de Gergelim

Este óleo super nutritivo e, muito usado em massagens corporais e em tratamentos terapêuticos. Possui diversas vitaminas além de ser um ótimo antioxidante. Amigável com diversos tipos de pele.

9. Óleo de Semente de Uva

Muito comum para combater celulite e estrias, o óleo de semente de uva auxilia restaurando a elasticidade dos tecidos, reduzindo inchaços e edemas. Seu uso também é indicado para peles com acne, porque ele é um óleo mais fino, que é facilmente absorvido pela pele e não obstrui os poros.

Como usar óleos vegetais na pele?

Hello Glow

Em geral, não é necessário utilizar grandes quantidades. Assim como existem muitos tipos de óleo vegetal, existem algumas maneiras diferentes de utilizá-los.

Aplicar direto na pele. Sem dúvidas, óleos vegetais, diferente dos óleos essenciais, podem ser usados no corpo e no rosto sem muitas preliminares. Porém, em regiões mais delicadas, como o rosto, não precisam de grandes quantidades para serem efetivos.

Se a ideia for aplicar no rosto, prefira fazer isso antes de dormir. Afinal, a face já estará mais limpa e absorverá melhor o óleo. Desse modo, você estará aproveitando melhor os nutrientes e propriedades que este cosmético natural carrega.

Gulab Oils

Também podem ser usados como um primer natural. é interessante usar algumas gotinhas antes da maquiagem. Isso promoverá uma aderência maior da maquiagem, assim como melhoram a elasticidade da pele, facilitando a aplicação de outros produtos.

Usando o óleo vegetal de primer antes da maquiagem, você verá que o resultado será uma pele com um aspecto mais jovial e bonita.

Misture com hidratantes. O óleo vegetal pode ser adicionado aos hidratantes faciais ou corporais. Assim você terá um hidratante com uma eficácia ainda maior.

Com algumas gotas bem misturadas ao creme antes da utilização, o resultado será uma pele mais macia e vigorosa. Massageie a região para melhorar a absorção.

Dr. Axe

E então, gostou de conhecer 9 tipos de óleo vegetal e de quais modos você já pode aplicá-los na sua pele?

Deixe um comentário e diga para a gente quais você pretende utilizar e quais mais gostou de experimentar!

Veja também:
5 Receitas de Hidratante Caseiro para Cabelo Potentes e Fáceis de Fazer
Cosmetologia Natural: Guia Definitivamente Completo para Iniciantes

Como Fazer Sabonete de Argila Preta para Pele Madura ou Oleosa

As argilas são produtos encontrados na natureza em diversas cores: vermelha, verde, amarela e preta, para citar algumas.

Cada uma possui suas propriedades exclusivas e, por isso, seu uso tem se tornado muito comum indústria de cosméticos (naturais ou industrializados) em forma de sabonete, creme ou máscara.

A argila preta, por exemplo, é um componente muito rico e ideal para tratar peles maduras ou acneicas.

Aqui você vai aprender como fazer um sabonete de argila preta fácil e poderoso.

Mas antes, descubra todos os benefícios que esse tipo de argila pode trazer para sua pele!

Veja também:
Sabonete de Carvão: 2 Receitas Simples Para Pele Oleosa
3 Receitas de Tônico para Pele Oleosa – Aprenda a Fazer

O que a argila preta tem a oferecer?

Entre todos os tipos de argila, a preta é a mais rara devido à sua origem: ela é retirada da lama vulcânica e possui componentes poderosos.

Como, por exemplo, alumínio, titânio e silício, que auxiliam no controle de oleosidade e rejuvenescimento da pele.

Ou seja, ela ajuda a eliminar aquela ruguinha, linha de expressão e manchas na pele que todos nós queremos longe.

Além de promover renovação celular, cicatrização e ajudar no combate a estrias e celulites.

Por outro lado, também pode ser utilizada no cabelo, eliminando as toxinas e auxiliando no crescimento.

Apesar da sua raridade, ela pode ser encontrada na internet ou em lojas de produtos naturais em formato em pó, para ser utilizada como máscara facial ou capilar.

E também para fazer o sabonete de argila preta que vamos te ensinar agora!

Anote o que você vai precisar.

Sabonete de argila preta: Receita completa

Com essa receita, você pode fazer até 3 barras de sabonetes

Por isso, se quiser mais ou menos, use os ingredientes na proporção correta!

Ingredientes:

  • Copo dosador;
  • Panela esmaltada;
  • Moldes para sabonete ou forminhas que você tiver disponível;
  • 250g de base glicerinada branca;
  • 20ml de essência cosmética (de sua preferência e opcional);
  • 12ml de extrato glicólico (Babosa, Camomila, Alecrim, Abacate, Rosa Mosqueta ou outro de sua preferência);
  • 20ml de lauril líquido; (opcional)
  • 2 colheres de chá de argila preta.

Como fazer?

  1. Pique a glicerina em pedaços menores. Isso vai facilitar na hora de derreta-la;
  2. Coloque-a na panela esmaltada e acenda o fogo bem baixo;
  3. Deixe derreter por completo e deixe-a descansar com a panela tampada por 2 minutos e meio;
  4. Enquanto ela esfria, coloque os ingredientes em um copo e misture até que fique homogêneo;
  5. Após os 2 minutos e meio, misture a glicerina aos outros ingredientes e deixe descansar pelo mesmo tempo;
  6. Vire nas formas e aguarde 24 horas até que ele endureça por completo.

Além de fazer para você, os sabonetes são ótimos presentes para pessoas de qualquer idade.

Afinal, quem não gosta de ter uma pele bonita?

Você gostou da nossa receita de sabonete de argila preta? Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário aqui que vamos adorar ler e responder!

Veja também:
5 Receitas de Hidratante Caseiro para Cabelo Potentes e Fáceis de Fazer
Esfoliante Natural: Conheça os Melhores para Fazer Receitas Caseiras

Esfoliante Natural: Conheça os Melhores para Fazer Receitas Caseiras

O esfoliante natural é um recurso muito especial nos cuidados com o corpo. Não só pela natureza não tóxica e menos agressiva dos ingredientes, mas também por não deixar a desejar nos resultados.

São só vantagens quando se trata de uma pele mais bonita e macia.

Reduz pele morta e a oleosidade, permitindo uma absorção maior de hidratantes. Ou seja, esfoliar é garantir uma pele mais saudável, pois além da limpeza, facilita a efetividade de outros tratamentos.

Afinal com alternativas simples e produzidas em casa, trazer uma restauração natural para a pele fica ainda mais fácil.

Quer saber mais? Pois hoje vamos falar sobre esfoliantes e passaremos algumas receitas para você já começar a produzir os seus.

Veja também:
9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa
Como Fazer Creme Hidratante Natural: 4 Receitas Fáceis de Fazer

Características e Ingredientes

Fonte: soapqueen.com

Primeiramente, o esfoliante costuma ser uma substância granulada. Bem como pode aparecer em sabonetes, sais de banho, hidratantes. Ao deslizar pela pele ele arrasta e solta o excesso de pele morta, assim desobstruindo os poros. Desse modo, evita excessos nocivos que resultariam em cravos, espinhas e pelos encravados.

Pode-se classificar os esfoliantes em três tipos, de acordo com o grão utilizado.

  • Esfoliantes finos (aveia, bicarbonato de sódio). Recomendados para o rosto.
  • Esfoliantes médios (açúcar, sal, argila, linhaça). Recomendados tanto para o rosto quanto para o corpo.
  • Esfoliantes grossos (Café, bucha vegetal)

Enfim, lembre-se: é importante ter em mente que os esfoliantes faciais devem ser mais suaves e com menor granulação para não irritar a pele sensível do rosto. Enquanto os corporais podem ser mais consistentes e com uma granulação maior. 

Para as receitas que vamos passar ficarem prontas, basta só misturar. Confira então alguns exemplos de ingredientes:

Sal

Sal é um esfoliante muito eficaz para todo o corpo, não apenas o rosto. Sendo assim, alguns sais podem ser usados nas mãos para tratar de calos e cutículas ou também nos pés.

Porém, para peles mais sensíveis é uma opção que pode causar sensação de queimação. Por isso, não é recomendado em todos os casos.

Como você verá, o sal é um “tempero” a mais nos esfoliantes. Seja refinado para o rosto ou grosso para o corpo.

Açúcar

A princípio, por ser menos abrasivo que o sal, o açúcar é um esfoliante mais amigável com a pele do rosto. Porém, nesse caso, opte por açúcar refinado ou de confeiteiro.

Sendo assim, também pode ser usado com mais tranquilidade no resto do corpo também. Em partes menos sensíveis que o rosto, não há problema em ser o açúcar cristal.

Receita:

  • 1 colher de Iogurte natural;
  • 1 colher de Açúcar;
  • 1 colher de Mel.

Também tem essa receita bem legal de esfoliante de açúcar que ensinamos anteriormente.

Fonte: soapqueen.com

Borra de Café

Café costuma ser um dos esfoliantes favoritos. Pois além da limpeza, ele também é antioxidante, hidratante e promove a formação de colágeno. Como o pó é fino, a borra também é bem-vinda no rosto.

Receita:

  • 1 colher de sopa de pó de café
  • 1 colher de óleo vegetal (como azeite, óleo de coco, óleo de jojoba, óleo de abacate).

Dê uma conferida nessa receita de sabonete esfoliante de café e esse esfoliante anticelulite que mostramos antes, também.

Aveia

Uma das melhores opções para peles mais sensíveis. Para o rosto ou partes mais ressecadas do corpo, como joelhos, tornozelos e cotovelos, a aveia esfolia gentilmente.

Receita:

  • 1 colher (sopa) de aveia em grão;
  • 1 colher (chá) de azeite;
  • 1/4 colher (chá) de sal.
Fonte: etsy.com

Argila

Um dos cosméticos naturais mais universais que existe, a argila também pode ser usada como esfoliante. Também muito suave, tem maior aceitação de peles mais sensíveis, além de diversos benefícios.

Receita:

  • 1 colher de sopa de argila verde;
  • 1 colher de sopa de sal grosso;
  • Misture tudo em 100 ml de água destilada ou água de coco.

Linhaça

Farinha de linhaça também entra na categoria das opções para peles sensíveis. Essa semente oleaginosa é anti-inflamatória e contém omega-3. Ou seja, além de esfoliar, garante uma ótima nutrição para a pele.

Receita:

  • 1 colher de sopa de farinha de linhaça;
  • 1 colher de sopa de mel.
Fonte: stylecraze.com

Bicarbonato de Sódio

O bicarbonato de sódio é um ingrediente extremamente versátil. Pode ser usado em desodorantes, no clareamento dos dentes, sais de banhos e por aí vai. Claro, assim como pode ser um esfoliante natural, inclusive bom para todos os tipos de pele.

Receita:
1 colher de bicarbonato e 1 de água já basta para fazer uma pastinha. Mas pode ser usado com aveia, azeite ou outros óleos vegetais também. Como o sal, dá um toque a mais, apesar de por si só também ser efetivo.

Bucha Vegetal

Luffa, a planta popularmente conhecida como bucha vegetal, também é um esfoliante natural. Misturada com sabonetes, (ou usado na receita de um) sua textura é ótima para regiões ásperas como os pés ou cotovelos.

Recomendações

Fonte: helloglow.co

Resumindo, pense em como irá guardá-los, caso queira fazer mais do que a dose da colher. Um pote higienizado e que feche bem conservará as propriedades dos produtos por mais tempo. Assim, dê preferência aos recipientes menores. Afinal, como são naturais e sem conservantes, pequenos detalhes como esse são de grande importância.

  • Limpe a pele com um sabonete, preparando-a para a esfoliação.
  • Na pele umedecida, aplique o esfoliante fazendo movimentos circulares e delicados.
  • Retire-o com bastante água morna e finalize com um hidratante.

Se o esfoliante for um sabonete ou uma mistura com hidratantes naturais, as etapas se completam. Caso o uso seja no corpo, não ha problema que seja feito no banho.

Onde a pele é mais grossa, não há problemas com o uso semanal. Por outro lado, em regiões mais sensíveis, aplique o esfoliante a cada duas semanas.

De um jeitinho simples, dá para experimentar e produzir esfoliante natural com ingredientes da cozinha. Assim incluindo na rotina de cuidados com o corpo um tratamento eficiente e muito mais saudável para a pele.

Deixe um comentário caso tenha dúvidas, sugestões, ou contando pra gente quais receitas você gostou mais!

Veja também:
Como Fazer Óleo Macerado de Forma Simples
Como Fazer Shampoo de Babosa: 3 Receitas Naturais

9 Melhores Óleos Essenciais para Pele Oleosa

A cosmetologia natural sempre surpreende. Ela possui produtos poderosos e menos agressivos que os produtos convencionais, sem deixar a desejar na eficácia.

E principalmente, existem opções para todos os tipos de pele. Com um desses tipos em mente, hoje vamos abordar especificamente como você pode tratar o excesso de sebo. Isto é, quais são os óleos essenciais para pele oleosa que você pode usar.

A princípio soa até contraditório usar um óleo para reduzir a oleosidade da pele. Mas dentro do imenso leque de efeitos, os óleos essenciais podem, sim, contribuir também com a redução do sebo.

Em resumo, vamos mostrar alguns óleos essenciais e a mistura para você usá-los da melhor maneira.

Desse modo, é possível não só cuidar da própria pele, caso a oleosidade seja uma questão. Mas também aumentar sua oferta de produtos, incluindo mais essa possibilidade nas suas vendas.

Veja também:
Cosmetologia Natural: Guia Definitivamente Completo para Iniciantes
3 Receitas de Pasta de Dente Natural Fáceis de Fazer

A pele oleosa e o óleo essencial

Fonte: helloglow.co

Frequentemente, quando há carência de óleos naturais na pele, inicia-se um processo de superprodução para compensar essa ausência. Isso é o que gera sebo em excesso.

Produtos mais agressivos podem, a princípio, ressecar a pele e reduzir a oleosidade. Porém, indiretamente, isso inicia o processo que estimula a produção de sebo, gerando um efeito inverso ao procurado.

E aí entram em cena os óleos essenciais para pele oleosa. De um jeito natural, eles restauram a oleosidade natural da pele, conservando o equilíbrio da produção de sebo. Contribuindo também com outros aspectos da saúde do rosto.

Conheça alguns:

1. Óleo de Camomila

O óleo essencial de camomila é ótimo para todos os casos de acne. Ele combate a inflamação, reduz o risco de infecções, é tônico e cicatrizante. Principalmente, é o que chamamos de adstringente, pois fecha os poros, desse modo controlando a oleosidade.

2. Óleo de Cipreste

Um agente poderoso no combate à oleosidade, o óleo essencial de cipreste é secativo. Além da ação antisséptica e bactericida, tem potencial terapêutico.

3. Óleo de Sálvia Esclareia

A Sálvia Esclareia tem propriedades regenerativas, limita a produção de sebo e combate a oleosidade. Também possui diversos efeitos terapêuticos que vão além dos benefícios para a pele.

4. Óleo de Alecrim

O óleo essencial de alecrim tem notáveis propriedades anti-inflamatórias e também muito eficiente, inclusive para cabelos oleosos, também.

5. Óleo de Gerânio

Um excelente óleo para o tratamento facial, o óleo de gerânio é cicatrizante, adstringente, bactericida e antivirótico. Balanceado para todos os tipos de pele, pois também é hidratante. Assim como equilibra hormônios femininos, então é mais recomendado para mulheres.

6. Óleo de Lavanda

Muito bom para peles irritadas, o óleo de lavanda cuida de marcas existentes e previne o surgimento de novas. E claro, regula a oleosidade da pele. É antioxidante, anti-inflamatório, antisséptico e antimicrobiano. Ainda por cima bem cheiroso!

7. Óleo de Melaleuca (Tea Tree)

Muito eficiente contra espinhas, o óleo de melaleuca resolve bem o excesso de sebo na pele. É secativo, bactericida, antimicrobiano e antisséptico.

8. Óleo de Junípero

Suaviza sem ressecar. Conhecido pelas propriedades antissépticas e adstringentes, é muito bem aceito pela pele. Oxida com facilidade, então é bom conservar bem fechadinho e em locais escuros.

9. Óleo de Rosas

O óleo essencial de rosas é um dos que tem propriedades bactericidas mais elevadas dentre todos os outros. Portanto é um forte combatente da acne e regulador da oleosidade da pele.

Dá uma olhadinha nesse vídeo com mais algumas sugestões de óleos essenciais e suas propriedades:

Mistura

Fonte: etsy.com

Os óleos essenciais carregam uma concentração enorme das propriedades das plantas. Então são muito fortes para serem usados diretamente na pele. Recomenda-se então que a mistura de algumas gotas do óleo essencial seja feita com um sabonete líquido ou gel neutro.

  • Use 10 gotas do óleo essencial para cada 100g de base.
  • Utilize duas vezes por dia.
  • Se a base for sabão neutro, use-o lavando bem o rosto.
  • Se a base for o gel neutro, use após lavar o rosto e deixe.

Você pode experimentar essas opções e descobrir qual se adapta melhor ao seu caso. Também é possível explorar diferentes possibilidades misturando diferentes óleos, mas mantendo a medida de 10 gotas de óleo para cada 100g de base.

Dá pra fazer uma variedade enorme de produtos! Pronta para reduzir o sebo com esses óleos essenciais para pele oleosa?

Deixe nos comentários quais são os seus óleos favoritos, ou suas dúvidas e sugestões!

Veja também:
Como Fazer Óleo Macerado de Forma Simples
Como Fazer Desodorante Vegano: 5 Receitas Naturais e Eficientes

Como Fazer Óleo Macerado de Forma Simples

Os cosméticos naturais estão em alta e expandir a variedade das suas produções sempre é uma boa ideia. A princípio, a maceração é um método muito tranquilo de extração dos benefícios e propriedades das plantas.

Ma apesar de simples, ela pode ter inúmeros resultados. Perfeito para quem quer entrar no mundo dos cosméticos naturais, ou para quem quer gerar uma renda extra. De um jeitinho fácil, vamos ensinar nesse artigo como fazer óleo macerado.

Os óleos macerados são ótimos para o bem-estar. Nem tão concentrados como óleos essenciais, ainda assim são muito terapêuticos. Por isso, com certeza, vão agradar seus clientes e integrarão bem as suas vendas.

E sem dúvidas cuidar-se com algo natural é ainda mais gostoso.

Veja também:
Como Fazer Desodorante Vegano: 5 Receitas Naturais e Eficientes
Como Fazer Lip Balm Vegano para Hidratar Seus Lábios

O processo de maceração

Fonte: littlegreendot.com

O óleo vegetal já tem propriedades que beneficiam a pele. Hidratam, regeneram e, por isso, a maceração feita com ele é perfeita para os cosméticos naturais. É um processo sem complicações.

Em relação às ervas e flores que você for usar, cuidado com as frescas. A umidade pode mofar o óleo e gerar o crescimento de micróbios. Então tenha certeza de que elas estejam bem secas, garantindo mais vida útil para o produto.

Olha só, você vai precisar apenas de:

  • Óleo vegetal
  • Erva seca de sua preferência
  • Pote de vidro higienizado para armazenar

Só isso de material? Sim, só isso. Fazer também não exige muito.

  1. Deixe a planta em pedacinhos para facilitar a extração.
  2. Coloque o óleo no pote e depois as ervas.
  3. Use o dobro de óleo para o de ervas, para que elas estejam totalmente imersas.
  4. Feche bem e guarde em um lugar escuro.
  5. Filtre para remover os resíduos (opcional).

Pode ser o fundo de um armário da cozinha ou até mesmo guarda-roupas. O importante é ser escuro. Deixe lá por volta de 15 dias. Diariamente, dê uma agitada no pote para ajudar na extração das propriedades das ervas.

Logo depois, No fim desse processo, seu produto já está pronto. Essa é a infusão a frio.

Você pode macerar com a ajuda do sol ou banho-maria também. No caso do sol,  também agite diariamente. No banho-maria tenha cuidado, pois a temperatura alta demais pode comprometer o resultado.

Mas para conservação depois de prontos, dê preferência ao lugar escuro. De acordo com o aroma e a coloração você vai saber se o óleo ainda está bom.

Dê uma olhadinha nesse vídeo que explica de maneira rápida como fazer óleo macerado.

Mas antes de encher seu armário de potes, temos mais algumas dicas importantes.

Óleos ideais para a maceração

Fonte: croclavie.org

Óleo vegetal faz a gente pensar em cozinha antes de mais nada. Mas nem todos que são usados na maceração costumam ser usados na culinária, do mesmo modo, nem todos usados na culinária servem para a maceração.

Os benefícios variam assim como os mais adequados para cada tipo de pele. Seja mais denso ou menos denso, para peles mais ou menos oleosas, é bom saber quais os mais recomendados.

Os óleos que combinam mais com a maceração:

  • Semente de uva
  • Girassol
  • Jojoba
  • Azeite extravirgem
  • Abacate
  • Amêndoas
  • Baobá
  • Semente de Macadâmia

Ervas

As ervas complementam bem os óleos, mas existem as favoritas. Ao mesmo tempo que são tantas opções com propriedades e efeitos diferentes, que você terá uma variedade imensa de óleos macerados para vender.

Dentre as ervas mais usadas na maceração, vale mencionar:

  • Lavanda
  • Arnica
  • Calêndula
  • Alecrim
  • Camomila
  • Hortelã
  • Alfazema
Fonte: instructables.com

Enfim, por aí vai. Essas são algumas sugestões para você começar, mas com certeza você irá descobrir outras ervas e combinações que darão ótimos resultados.

Viu como fazer óleo macerado é uma ótima ideia? Afinal, com pouquíssimo esforço, você pode fazer esse cosmético natural e gerar uma renda extra valiosa.

Teve alguma dúvida? Conta pra gente nos comentários. Diga também o que você achou dessa ideia, suas ervas e combinações preferidas e compartilhe seus resultados!

Veja também:
Cosmetologia Natural: Guia Definitivamente Completo para Iniciantes
Como Fazer Shampoo de Babosa: 3 Receitas Naturais